Fabiano e Amarilis foram eleitos com 68,59% de votos

Domingo tivemos a tão esperada eleições municipais e a grande maioria dos eleitores de Novo Horizonte elegeram para o mandato de quatro anos (2021/2024) o prefeito Dr.Fabiano Belentani (PL) que tem como vice prefeita a Amarilis Biasi (Patriota).Eles foram eleitos com 13.522 votos,o que representou 68,59% dos votos validos.

Os candidatos Cléber Gaúcho (PSDB)/Beto de Souza (Republicanos) ficaram em segundo lugar com 5.408 (27,43%) e em terceiro lugar ficou o Ademar Rosa/Maria Lima (Podemos) com 785 votos (3,98%).Nestas eleições Novo Horizonte teve 30.038 eleitores aptos a votarem,sendo que exerceram os seus votos 21.247 eleitores,tivemos 1.071 votos em branco  e 811 votos nulos.

No legislativo, dos  treze  vereadores eleitos, sete fazem parte da coligação que elegeu a  Dr.Fabiano Belentani: Sonia Canato (PL), eleita com 821; Osvaldo Ligero (MDB), 799 votos; Dr.Luciano Asckar  (MDB), 749; Tiago Rocca (PSL), 653; Jair Gordo (PSL), 565; Paula Reami ( PL), 480; e Pastor Arnaldo  (PL), 380.Os outros seis eleitos fizeram parta da coligação que apoiou o candidato a prefeito Cleber Gaúcho: Carlos BGO Mendonça (Republicanos), eleito com 980 votos; Rai Ascêncio (Republicanos), com 446 votos; Rodrigo do Prado (Republicanos), 428 votos; Kall Rigamonti (Republicanos), 417 votos; Ivone Ruiz (PSDB), 380; e Ideval do Sinserp (PT), 338 votos.

Merece destaque,que da atual Câmara Municipal,apenas quatro obtiveram a reeleição:Sonia Canato,Jair Gordo,Ivone Ruiz e Ideval do Sinserp.

Um fato que marcou as eleições municipais deste ano em todo o pais,é que o tivemos uma grande demora na divulgação dos resultados e segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) isto ocorreu  devido a  lentidão no processo de totalização dos votos.

Inicialmente, a Corte havia divulgado que não havia problema na totalização, mas uma falha na comunicação entre o sistema que computa os votos e o que divulga os resultados.

Essa informação foi corrigida posteriormente.Esta eleição foi a primeira em que a totalização dos dados foi feita toda pelo TSE, e não por cada um dos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Segundo a Corte, isso traria algumas vantagens, como economia e segurança.(Alvani)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *