30 anos da “FINAL CAIPIRA”

Toda a imprensa esportiva do pais fez questão de relembrar nesta semana,os 30 anos da inédita “FINAL CAIPIRA”,que decidiu o Paulistão de 1.990 e envolveu os extintos Grêmio Esportivo Novorizontino e o Clube Atlético Bragantino.Foram dois jogos,com dois empates em 1×1 e que garantiu o titulo ao time de Bragança,graças a melhor campanha realizada na competição.

Na primeira partida da decisão,ocorrido no estádio Jorjão em 22 de agosto, Edson Pezinho abriu o placar para o Tigre aos 41 minutos do primeiro tempo, enquanto Gil Baiano empatou aos 23 do segundo.

Na segunda partida,realizada em Bragança Paulista em 26 de agosto,Fernando  Baiano inaugurou o marcador para o Grêmio,aos 22 minutos do segundo tempo. Quatro minutos mais tarde, porém, Tiba fez o gol do empate que levou a decisão para a prorrogação. Neste período extra, novo empate, agora sem gols, e a conquista do titulo para nossos adversários.

Os finalistas revelaram três jogadores campeões do mundo na Copa de 1994: Mauro Silva, do lado do Bragantino, e Márcio Santos e Paulo Sérgio, do lado do Grêmio Esportivo Novorizontino. Essa final caipira revelou também dois técnicos que fizeram fama nacionalmente como Nelsinho Baptista e Vanderlei Luxemburgo. Isso mostra que apesar de desacreditados, os dois times eram fortes.

30 anos se passaram,aquele Grêmio não mais existe,foi destruído pela família Chedid e o próprio Bragantino dos mesmos Chedids,foi vendida para a empresa Red Bull.(ASL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *